Bicicletas dobráveis

interbike2011_200As bicicletas dobráveis são cada vez mais utilizadas em meio urbano, por serem tão flexíveis a dar respostas aos problemas dos ciclistas.

Uma das maiores vantagens que lhes encontro é a flexibilidade que têm se for necessário usar um meio de transporte complementar na viagem, dobram-se e podemos facilmente entrar num autocarro ou num comboio. Para estacionar ou guardar em casa não precisam de grandes parques de estacionamento, um espacinho no roupeiro ou um canto no escritório e está o assunto resolvido.

Se são fáceis de dobrar? Pois depende, umas com mais trabalho outras com menos mas todas ficam reduzidas a muito pouco. A tecnologia tende a evoluir muito nesse sentido mas já se sabe muitas vezes essa evolução reflete-se no preço.

Segue um vídeo com uma serie de modelos diferentes de bicicletas dobráveis que mostra como funcionam e a que é que ficam reduzidas.

Durante a investigação para este artigo encontrámos O Forum Português de Bicicletas Dobráveis, se quiserem tirar dúvidas talvez aqui seja o melhor sítio para o fazer.

 

Benefícios de andar de bicicleta #1

319033_494707333887246_1549837419_n

Talvez um dos maiores motivos para o uso da bicicleta como meio de transporte é a poupança que pode representar nos bolsos de cada um.

Mas afinal quanto se poupa? Já alguém pensou nisso?

Bem para já comecemos por pensar quanto custa ter um carro (mensalmente). Foi feito um estudo em 2009 em que se estimava ao fim de 10 anos o custo de um carro era semelhante ao custo de uma casa, podem ler a reportagem feita pelo Expresso a respeito desse exercício aqui (apesar de ter encontrado algumas referências a este estudo não o consegui encontrar).

Como é óbvio isto depende de inúmeros factores: o tipo de carro, o combustível que usa, o tipo de seguro, as viagens que faz (nº e distância), entre muitos outros e até da sorte! Mas pensemos num caso mais geral, a Citizeen que é uma empresa de car-sharing no Porto fez uma aproximação ao custo mensal de ter um carro que considera:

  • A desvalorização da viatura;
  • O consumo de combustível;
  • O custo associado a portagens, parques de estacionamento e afins;
  • A manutenção;
  • O seguro;
  • E o Imposto Único de Circulação.

E chegou à conclusão que a mensalidade de um carro pode chegar facilmente aos 250€/300€. Claro que isto é um estudo de uma empresa de carsharing e podem dizer-me que poderá ser tendencioso mas então consideremos todos os pontos que eles consideram e façamos as nossas próprias contas. Com certeza que concordam que um carro não fica abaixo dos 150€ por mês.

É certo que deixar de ter carro pode não ser opção, porque fazemos muito mais viagens do que as casa-trabalho, mas tendo em conta que a muitas das famílias têm mais de um carro em casa, a mudança de hábitos pode significar a redução do número de carros nas famílias.

Mas mesmo que não exista a redução do número de veículos pensemos nos custos que podemos diminuir se usarmos mais a bicicleta e menos o carro: gasolina, manutenção, parques de estacionamento e uma menor desvalorização do veículo.

Claro que ainda podíamos falar aqui dos custos associados ao ginásio, e consequentemente dos custos associados à saúde mas deixemos isso para outro parágrafo do “Benefícios de andar de bicicleta”.

(Podem também ler o post sobre uma das 60 ideias de sobreviver a 2013 já publicado aqui no blog e onde se apontam poupanças na ordem dos 400€ mensais)

Massa crítica

DSC_8339-vi

A Massa Crítica é um passeio de bicicleta que acontece na última sexta-feira de cada mês em quase todas as cidades do mundo. Em Coimbra a primeira realizou-se em 30 de Março de 2007 e a próxima será no dia 29 de Março às 18h00. O ponto de encontro é no Largo da Portagem.

Embora as massas críticas do Porto e Lisboa tenham por vezes centenas de participantes, a de Coimbra não tem tido muita gente. Para comemorar os seis anos vamos reactivar a Massa Crítica de Coimbra e no próximo 29 de Março vamos todos ao Largo da Portagem às 18h.

Mais informações aqui e o grupo do facebook da MC de Coimbra aqui.

Espaços cicláveis na Holanda

Quando pensamos em países com ótimas condições para o uso da bicicleta o país que nos ocorre é imediatamente a Holanda, certo?! Mas será que foi sempre assim?!… na realidade não! Na Holanda já se cometeram os erros que aqui se cometem, já deixou “reinar” o carro. 

E o que é que fez mudar isso?! A necessidade!

  • O aumento do tráfego motorizado e excessiva utilização espaço público dedicado ao carro 
  • A diminuição da segurança, principalmente no conflito carro-ciclista
  • A crise do petróleo com um aumento do preço geral da energia
  • E a crise económica (que bem conhecemos!!!)

Fica aqui o vídeo com um documentário que responde a isto.

Infelizmente foram sacrificadas muitas vidas para se perceber a necessidade de espaços cicláveis, mas é por isso que queremos aqui, no Coimbr’a Pedal, dar a conhecer melhor o código da estrada ou apresentar as práticas mais seguras do ponto de vista do ciclista.

E porque estamos numa altura em que os investimentos são feitos nas necessidades imediatas, o melhor que temos a fazer enquanto cidadãos, para (eventuarmente) termos uma rede de espaços cicláveis em Coimbra, é pedalar!!